Missão e Valores da Aliança

Fomentar a discussão sobre Pesquisa Clínica no Brasil, a fim de conscientizar toda a sociedade sobre sua importância para a plena efetivação do direito à saúde e para o desenvolvimento econômico e tecnológico do país, bem como sensibilizar os  tomadores de decisão para que ajam no sentido de aprimorar o atual modelo regulatório.

Pesquisadores, associações de pacientes, associações de profissionais de pesquisa clínica, e organizações responsáveis pela condução de projetos de pesquisa clínica no país, integrantes de Comitês de Ética em Pesquisa (CEPs).

  • Desmistificar a pesquisa clínica, educando a população em geral sobre como se desenvolve a pesquisa clínica e como ela é importante para todas as esferas da sociedade;
  • Conscientizar a sociedade sobre a importância da pesquisa clínica para a saúde púbica, incluindo melhores condições de tratamento aos pacientes e o desenvolvimento de novas tecnologias;
  • Promover uma mobilização nacional em prol de uma revisão do sistema regulatório da Pesquisa Clínica no País.
  • Descentralizar a análise das pesquisas clínicas no País, hoje a cargo da CONEP (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa Clínica), valorizando a contribuição regional dos 700 Comitês de Ética em Pesquisa Clínica (CEP) distribuídos nos estados.
  • Compatibilizar inteiramente os textos das regulamentações éticas e sanitárias para a pesquisa clínica, estabelecidas pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e pela Anvisa (Agência Nacional da Vigilância Sanitária), de modo a agilizar o fluxo operacional dos estudos clínicos no País.
  • Contribuir para tornar eficiente e ágil a Plataforma Brasil, sistema eletrônico criado pelo governo federal, para organizar o encaminhamento das pesquisas clínicas para avaliação da CONEP e CEPs.
  • Debater com a comunidade científica, o governo (principalmente, ANVISA e CONEP) e a sociedade em geral as soluções para tornar menos burocrático e mais rápido o processo de avaliação dos estudos clínicos no País.
  • Debater com os públicos interessados e o governo as soluções para agilizar o processo de liberação de produtos e materiais importados para o desenvolvimento das pesquisas clínicas no Brasil e o aumento da competitividade do País nesse setor.