Adesões

Agilizar a avaliação de estudos clínicos no Brasil, considerada uma das mais burocráticas e lentas do mundo. Esse é o objetivo da Aliança Pesquisa Clínica Brasil, movimento nacional que já conta com a adesão de mais de 30 entidades representantes de pacientes, médicos, pesquisadores, centros de pesquisa, universidades e empresas farmacêuticas, além de dezenas de profissionais envolvidos com a produção de estudos clínicos.

O Comitê Gestor da Aliança está satisfeito com as adesões iniciais e tem a expectativa de que muitos profissionais e entidades da comunidade científica ingressem no movimento. Os interessados em participar da Aliança podem solicitar o termo de adesão através do site www.aliancapesquisaclinica.com.br.

A Aliança vem buscando medidas para aprimorar o atual sistema regulatório da pesquisa clínica e realizando debates em audiências públicas, veículos de imprensa e no grupo de trabalho criado pelo Ministério da Saúde, com a participação dos órgãos regulatórios – Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Comissão Nacional de Residência Médica (Conep).

No Brasil, análises das pesquisas clínicas demoram em média de 12 a 15 meses, enquanto que os líderes em pesquisa – Estados Unidos, Coreia do Sul, Austrália, Canadá e alguns países da União Europeia – concluem essas aprovações em até 90 dias. Embora figure como a sétima economia mundial e o sexto maior mercado farmacêutico, o Brasil ocupa a 15º posição no ranking mundial de registros de pesquisas clínicas, distante dos líderes Estados Unidos, Canadá, Alemanha e França e atrás de países de menor porte econômico como Bélgica, Dinamarca e Israel.

Dentre as medidas a serem discutidas com o governo federal e todo o setor de pesquisa clínica, a Aliança destaca: a descentralização do poder decisório sobre as análises, a uniformização das normas legais, a comunicação eficaz entre governo e pesquisadores, o cumprimento de prazos e a agilidade dos serviços alfandegários.

Além de estimular a discussão sobre a necessidade de revisão do modelo regulatório, a Aliança pretende conscientizar a população sobre a importância dos estudos clínicos para a saúde pública e seu impacto significativo na melhoria da qualidade de vida dos pacientes e da competividade do país na produção científica.

Participe conosco em prol da Pesquisa Clínica do Brasil!

Eduardo Motti
Comitê Gestor da Aliança Pesquisa Clínica Brasil